A esmagadora maioria dos rumores à cerca do filme ainda sem título que Wes Anderson (O Grande Hotel BudapesteMoonrise Kingdom) está gravando na cidade de Angolema era especulação pura. Como prova disso, numa entrevista concedida ao jornal francês Charente LibreJeremy Dawson desbancou um rumor que já era tomado como verdade: o de que o filme será um musical. Dawson, para quem não sabe, é um dos mais antigos colaboradores do diretor e atua como produtor nas obras dele há mais de dez anos, repetindo essa função no filme misterioso de agora.

O produtor sorriu ao ouvir menções de que se tratava de um musical. Ele afirmou que

Para ser franco, o [jornal] New Yorker, que já trabalhou com Wes Anderson em vários filmes, afirmou que não é um musical, mas sim ‘um filme que se passa na França em diferentes períodos. É uma história sobre escritores e tem conexões com o estado americano do Kansas.’

Essa afirmação pegou grande parte da imprensa especializada de surpresa, uma vez que todos já tinham como certo o gênero do filme. A empolgação era tanta que circulavam nomes como Brad PittNatalie PortmanTilda Swinton no elenco (a última tendo sido confirmada oficialmente junto a Mathieu Amalric) e Mark Mothersbaugh (que já faz parte da panelinha de Wes, além de ter trabalhado na trilha sonora de Thor: Ragnarok) como responsável pela trilha sonora.

Apesar de vaga, essa declaração de Dawson pode muito bem ser a única informação que teremos a respeito da história do filme. O produtor adicionou aos esclarecimentos prestados que todos os envolvidos no projeto estão focados em manter sigilo e, além disso, o próprio Wes tem dado o seu melhor para evitar atenção – o máximo de barulho que o diretor tem feito é fechar pequenas ruas para as gravações de seu filme, evitando contato com a imprensa a todo custo.