Tag: 20th Century Fox

O filme estreou na última quinta-feira, 17 de maio. (📷 20th Century Fox / Divulgação)

O anti-heróis da Marvel, Deadpool , já voltou às telas dos cinemas na última quinta-feira, dia 17 de maio e na UCI o público poderá assistir às novas aventuras do mercenário tagarela nas salas especiais IMAX, XPLUS ou 4DX – que irão proporcionar imersão total na história através de tecnologias surpreendentes.

Deadpool 2 também é o destaque da semana do programa de relacionamento da rede, o UCI UNIQUE, e os associados podem comprar as entradas com preços especiais e ainda ganhar um pôster do filme.

Nas bombonières de todos os complexos UCI, os clientes que comprarem o combo especial (foto abaixo) levam para casa um balde de pipoca inspirado no personagem.

Pra quem não quer perder nenhum detalhe da superprodução, a dica é assistir nas salas especiais da rede, que proporcionam experiências incomparáveis:

Na IMAX (no Rio de Janeiro, São Paulo, Ribeirão Preto, Recife e Fortaleza), as telas são quatro vezes maiores do que as de projeção digital comum, geram imagens com muito mais brilho, nitidez e profundidade e têm áudios superpotentes alinhados a laser, que são distribuídos por todo o ambiente através de 24 canais com 18.000 whatts de potência. A tecnologia dos alto-falantes permite identificar a localização específica de cada ruído, possibilitando sensações indescritíveis.

As salas XPLUS (Salvador, Manaus, Curitiba, Fortaleza, São Luís, Canoas, Rio de Janeiro e São Paulo), têm outro diferencial. Além das telas gigantes, com exibição em 3D, a tecnologia Dolby Atmos utiliza canais de áudio com até 128 deslocamentos simultâneos de objetos sonoros, proporcionando uma riqueza de detalhes e profundidade impressionantes, que criam a ilusão de um campo de som infinito ao redor do espectador. As caixas acústicas ficam localizadas inclusive no teto, para preencher a sala com o retrato sonoro mais preciso do filme, exatamente da maneira como o diretor o imaginou.

No Rio de Janeiro (UCI New York City Center) e no Recife (UCI Kinoplex shopping Tacaruna) a rede conta com as únicas salas XPLUS Laser do país, que torna ainda mais surpreendente a qualidade das imagens. A diferença de se assistir a um filme projetado a laser é enorme, com cores mais vibrantes, contraste mais profundo e brilho muito mais intenso. A tecnologia inovadora oferece a melhor qualidade de imagem e desempenho de cores disponíveis atualmente.

As salas 4DX (Rio de Janeiro e São Paulo) têm cadeiras que vibram e se movimentam, além de 20 efeitos especiais. Durante as exibições, dependendo das cenas, o espectador é impactado por diversas sensações e aromas. No UCI NYCC, no Rio, o público poderá perceber chuva, vendaval, neblina, trovão, bolhas d´água, luzes e tempestade (rainstorm), que combina ventos fortes com gotas de chuva e cria redemoinhos de água em cima do público. Mas, quem preferir sair seco da sessão, poderá desligar o botão “water”. Já no UCI Anália Franco, a sala especial conta ainda com o exclusivo efeito neve – o único no país.

Ingressos para as exibições nos cinemas da rede podem ser adquiridos na internet, em aplicativos de celular e nas máquinas de autoatendimento disponíveis no hall dos complexos. Mais informações em www.ucicinemas.com.br.

Confira o combo:

Deadpool está de volta! (📷 20th Century Fox / Divulgação) 

Em Deadpool 2, que estreia nesta quinta-feira, 17 de maio, em circuito nacional, dois dos (sendo um, pouco anti) heróis volta com o seu super poder mais aguçado: o deboche. Com piadas geniais e seu senso auto-crítico, o primeiro ato da sequencia falha um pouco na apresentação dos novos personagens, exceto pela maravilhosa Zazie Beetz (Dominó), é difícil criar um vinculo logo de cara, e isso atrapalha um pouco o ritmo do filme.

Ryan Reynolds continua sendo uns dos maiores acertos da produção, a acidez e carisma que seu personagem carrega, conquista fácil o espectador. Não pode-se dizer o mesmo do vilão Cable, interpretado por Josh Brolin (Thanos, de Vingadores: Guerra Infinita), ele não é lá um dos mais originais.  E o argumento pra sua existência é bem parecido com o Exterminador do Futuro tudo o que já se viu por ai.

Mas é claro que o próprio filme não deixa de debochar disso, e de forma consciente deixa claro mais de uma vez que-isso-que-você-está-assistindo-não-é-pra-levar-tão-a-sério-assim.  A prova é que boa parte do segundo ato só serve para fazer uma grande piada. Já o terceiro é um pouco mais longo do que devia, daria pra tirar, pelo menos, 20 minutos do longa-metragem  

Na parte técnica é bem válido elogiar a trilha sonora com composições de Celine Dion, A-HA e AC/DC estão inclusos e sincroniza bem com todos os momentos. Há muitos filmes que colocam musicas clássicas em cenas de forma bem forçada (como o caso de Atômica), isso passa longe de acontecer aqui, o público sairá da exibição querendo baixar todas no Spotify.

O CGI também é muito bom, e algo que vale a pena destacar, por que faz a platéia esquecer totalmente daquele fiasco que foi a apresentação do primeiro Deadpool, na época de Wolverine Origins.

Em suma Deadpool 2, é uma sequência pouco ousada, com um roteiro bem convencional, mas que cumpre com excelência sua principal função: entreter e divertir.  Continua tão bom, quanto o primeiro filme, exceto pela parte que a musa Morena Baccarin, aparece bem menos no novo filme.

Uma dica, ainda não dá pra assistir com a mãe do lado. Outra dica, não saia antes dos créditos finais. A sala de cinema inteira aplaudiu a cena.

Assista ao trailer: 

Crítica | Deadpool 2

Deadpool foi um grande tiro no escuro na época de seu lançamento. Sua estruturação e produção duraram vários anos, o filme vinha sendo barrado por questões sobre o tom, faixa etária e até onde se poderia ir em um filme de ‘’super-herói’’. Então, após um sinal verde, em 2016 finalmente o filme foi lançado, tendo Ryan Reynolds (Dupla Explosiva) na pele do Mercenário Tagarela. O filme quebrou barreiras misturando cenas de ação super pesadas, piadas sujas e um linguajar definitivamente impróprio para menores e acabou arrecadando uma bilheteria muito acima de seu curto orçamento. Agora, dois anos depois, o espectador tem a oportunidade de conferir Deadpool 2, que estreia em circuito nacional, nesta quinta-feira,  dia 17 de maio, distribuído pela 20th Century Fox!

Após um incidente que o desestabiliza, Deadpool precisa enfrentar Cable (Josh Brolin, de Vingadores: Guerra Infinita) um soldado que vem do futuro para uma missão assassina. Impedir Cable, começa a colocar Deadpool em uma posição que o faz pensar sobre o que é ser um herói e como suas atitudes podem transformar ele em um ou não. Para vencer o soldado, o mercenário precisa recrutar uma equipe um tanto quanto inusitada.

Deadpool 2 acerta muito em puxar as cordas do primeiro longa, usando ganchos deixados, frases ditas e amarrando os dois filmes, trazendo algo que tem sido um pouco difícil de se ver em sequências de filmes de herói: um desenvolvimento real de seu protagonista.

📷 20th Century FOX / Divulgação 

Ambientado de forma mais confiante seu protagonista no universo dos X-Men, o filme é uma caixinha de surpresas, expandindo os personagens secundários e dando forma a uma equipe muito diferente da qual o público está acostumado a ver em ação. Recheado de referências maravilhosas e surpresas que farão os fãs entrarem em êxtase, Deadpool retorna em sua melhor forma, apoiado por uma trilha sonora sensacional.

Ryan Reynolds novamente brilha como Wade Wilson, e seus momentos falando com o espectador continuam sendo seus melhores e apoiado por um elenco secundário muito bom, consegue trazer todas as camadas do personagem, seus conflitos, sua irresponsabilidade e suas ações que sempre levantam a mesma questão: “isso me torna um herói ou apenas alguém bagunçando tudo?“.

Aproveitando da melhor forma possível a oportunidade que foi conseguida com tanta dificuldade e trazendo um filme muito melhor que seu antecessor Deadpool 2 vem com a irreverência já conhecida, as piadas sujas, os palavrões e as cenas que, as vezes, são difíceis de acreditar que foram filmadas.

Deadpool 2 vem quebrando tudo, totalmente seguro de si e de seu público e conquistando um lugar merecido entre as melhores adaptações de quadrinhos dos últimos tempos.

Assista ao trailer:

A Fox Film do Brasil acaba de anunciar que Morena Baccarin, a Vanessa Carlysle de Deadpool 2, vem ao Brasil para divulgar o novo longa-metragem do Estúdio. A namorada do tagarela mais amado das telonas já está com suas atividades programadas para os dias 06 e 07 de maio, em São Paulo. A atriz participará de eventos exclusivos para exibidores e imprensa durante sua visita. Brasileira, nascida no Rio de Janeiro, Morena foi para os Estados Unidos com sete anos e hoje é uma das brasileiras mais conhecidas de Hollywood. Deadpool 2estreia nos cinemas em todo o Brasil em 17 de maio.

Assista ao trailer: 

A 20th Century Fox apresentou hoje, durante painel em convenção, em Las Vegas, novas imagens de Bohemian Rhapsody, longa biográfico que se concentra desde a formação da banda Queen até seis anos antes da morte de Freddie Mercury. A banda Queen também divulgou as imagens em sua página oficial no Facebook.  Bohemian Rhapsody estreia em novembro em todo o Brasil. 

Entre outros destaques do painel da Fox na convenção estão a foto de James Cameron e Robert Rodriguez nos bastidores de Alita, uma adaptação do mangá de Yukito Kishiro que já teve o teaser divulgado na Comic Com Experience, e a pré-divulgação do filme The Hate U Give, dirigido por George Tillman Jr, uma história de uma jovem negra de 16 anos (interpretada por Amandla Stenberg) repleta de choques de realidade. O longa-metragem The Hate U Give é uma adaptação do livro de mesmo nome escrito por Angela Thomas, ainda sem previsão de estreia no Brasil.

Confira os materiais:

📷 20th Century Fox / Divulgação
James Cameron e Robert Rodriguez. (📷 20th Century Fox / Divulgação)
Cena de “The Hate U Give”. (📷 20th Century Fox / Divulgação)

A fórmula das comédias românticas teen está cada dia mais ultrapassada, o número de produções do gênero tem caído e as histórias simplesmente parecem não saber aonde ir. Como revitalizar um gênero de forma original e repaginada para uma nova geração? Talvez a resposta tenha estado sempre na nossa cara. Baseado no livro Simon e a Agenda Homo Sapiens da escritora Becky Albertalli e publicado no Brasil pela Editora Intrínseca, o filme Com amor, Simon chega em diversos cinemas selecionados nesta quinta-feira, 22 de março, e estreia no dia 05 de abril em circuito nacional. Produzido e distribuído pela 20th Century Fox, o longa-metragem promete arrebatar uma legião de fãs do gênero, abordando um assunto extremamente pertinente aos dias atuais.

Simon Spier (Nick Robinson, de Jurassic World) é um adolescente como outro qualquer, morador de uma cidade pequena, ele vive uma vida feliz. Ele tem pais amorosos e compreensivos, uma irmã que ele adora e os melhores amigos do mundo. O único problema é que Simon guarda um segredo sobre si: ele é gay e não sabe muito bem como lidar com isso. Um dia, no blog de fofocas da escola, alguém posta um desabafo sobre como é estar dentro do armário no ensino médio. Ocultando suas identidades, Simon e o garoto começam a trocar e-mails, e de forma inevitável ele começa a se apaixonar pela pessoa do outro lado da tela e usa as poucas informações que possui pra tentar descobrir quem é o rapaz misterioso. Em um momento de distração, Simon deixa seu e-mail aberto no computador da escola, e quando um aluno insuportável vê, começa a chantagear o garoto, ameaçando vazar os e-mails no blog de fofoca caso Simon não o ajude a conquistar uma amiga.

Com leveza e simplicidade, Com amor, Simon aborda todas as questões conflitantes da adolescência sem deixar passar a verdade sobre essa época de transição. A questão da sexualidade do protagonista não poderia ser mostrada de forma mais real. Ele é um menino feliz, que tem tudo mas que não se sente seguro para se posicionar e se afirmar. Ainda hoje, sair do armário ainda é um desafio envolvendo segurança, maturidade e respeito. O longa é tão sensível (sem tirar os pés do chão) ao abordar todos os lados da situação que é praticamente impossível o espectador não se envolver com os personagens.

Com amor, Simon é muito poderoso no sentido de mostrar que todas aquelas situações são normais. A forma que Simon se posiciona cedendo a chantagem, as reações de sua família, as confusões com seus amigos. Tudo isso pode estar acontecendo em qualquer lugar. E mais importante que isso, ele afirma que o poder de se afirmar deveria estar unicamente nas mãos da própria pessoa.

O sorriso tímido de Simon, as personalidades diferentes e ainda que pouco exploradas de sua família e amigos e a representatividade presente em cada um dos personagens tem uma carga emocional muito forte no filme. É impossível sair do cinema sem sentir seu coração aquecido. Com amor, Simon acerta em cheio em seu maior alvo: Seja você mesmo.

Assista ao trailer:

Novo longa da Fox Film, Com Amor, Simon (Love,Simon) chega aos cinemas nacionais em 22 de março com pré estreias em diversos cinemas, a estreia geral do filme estrelado por Nick Robinson (Tudo e Todas as Coisas) e Katherine Langford (13 Reasons Why)  será no dia 05 de abril. O longa conta a história de Simon Spier, um adolescente comum, com uma vida comum, que guarda um grande segredo: Ele é gay, e ninguém sabe. Além do trailer, a Fox também divulgou o pôster oficial do filme no Brasil, onde é possível ver Simon e seus fiéis amigos que o acompanham nessa jornada.

No filme, todo mundo merece uma grande história de amor. Mas para Simon Spier de dezessete anos é um pouco mais complicado: ele ainda não contou para a sua família ou amigos que ele é gay, e não faz ideia de qual seja a identidade do seu colega anônimo que divide o mesmo segredo. Resolver as duas questões se mostra divertido, aterrorizante e uma mudança de vida definitiva. Dirigido por Greg Berlanti (Dawson’s Creek, Brothers & Sisters), escrito por Isaac Aptaker e Elizabeth Berger (This is Us), e baseado no aclamado romance homônimo de Becky Albertalli, Com Amor, Simon, no Brasil publicado pela Editora Intrínseca. Trata-se de uma história engraçada e emocionante sobre encontrar-se e apaixonar-se.

Confira o pôster:

 

Indicado ao Oscar 2018 na categoria Animação, O Poderoso Chefinho chega à “Superestreia” no sábado de carnaval, 10 de fevereiro. Sucesso nos cinemas brasileiros com um público de mais de 3,2 milhões de espectadores, a história surpreende com recém-nascidos falantes e cheios de experiência.

Filho único, Tim tem sete anos e vive na maior tranquilidade com seus pais. Mas a chegada de um novo herdeiro (com a voz irreverente de Alec Baldwin) acaba com a paz do primogênito. Mandão e autoritário, o bebê deixa a mamadeira de lado quando os adultos não estão por perto e revela sua real identidade. É um espião, enviado para impedir que pets mecânicos tomem o lugar das crianças no mundo.

SERVIÇO:
O Poderoso Chefinho
Direção: Tom McGrath
Vozes de: Steve Buscemi, Alec Baldwin, Tobey Maguire,
Lisa Kudrow, Jimmy Kimmel e Miles Bakshi
EUA, 2017. Animação. 97 min. Livre.

Sessão Superestreia
Dia 10/2, sábado, às 22h, no Telecine Play* e no Telecine Premium.
Dia 11/2, domingo, às 20h, no Telecine Pipoca

* a Superestreia também fica disponível a qualquer momento no Telecine Play
e pode ser assistida quando e onde o assinante quiser.

Assista ao vídeo: