Numa crescente corrente de exposição de casos de assédio e/ou tentativas do mesmo, mais um caso veio à tona: Stan Lee foi acusado pelas enfermeiras que trabalhavam na sua casa de andar pelado pelos cômodos, e por pedir a elas para que fizessem sexo oral nele, além de adotar posturas invasivas ao tentar fazer movimentos indevidos.

Segundo a denúncia, a empresa que prestava serviços a ele deixou de lhe atender depois de inúmeras reclamações contra o mesmo. As acusações foram feitas em anonimato, e nenhuma queixa formalizada foi prestada contra o criador dos quadrinhos.

A empresa em questão deixou de apresentar serviços ao escritor em 2016, e desde então outra companhia tem atuado em sua residência. A atual gestora dos serviços prestados a ele se posicionou dizendo que Stan Lee é um homem “educado, gentil e respeitoso”.