Filmes ruins nos ensinam muito sobre cinema. É bom reconhecer na tela alguns clichês do gênero e testar a sua capacidade de dedução – opa, vai acontecer um susto agora – e seguir por esse caminho.

Sem contar que, quando o filme não é lá muito complexo, você pode assisti-lo sem muito compromisso e curtir alguns bons momentos com uma roda de amigos. Os filmes perfeitos para esse tipo de experiência são os Slashers ou filmes que criam um suspense no ar e todos ficam arriscando qual é a real do filme.

E por qual motivo eu disse tudo isso? Porque Honeymoon é um filme de terror que está ali perdido no catálogo da Netflix e, apesar de não ser nada grandioso, serve muito bem para assistir com os amigos.

Estreia do diretor Leigh Janiak, que também participou do roteiro, e com apenas 4 atores no elenco, entre eles a Rose Leslie – a Ygritte da série Game of Thrones – o filme conta a história de um casal que vai passar a lua de mel em um chalé e lá as coisas estranhas começam a acontecer.

O filme transita entre cenas bem dirigidas e excitantes até monólogos batidos, ou gritos de desespero clichezento na floresta. Tudo bem, nós vamos percorrer esse caminho juntos.

A fotografia é competente. Kyle Klutz soube captar imagens interessantes, mas não fez nada inovador e nem se arriscou em aventuras fora do que já acontece no gênero de terror.

As atuações estão ok, Rose Leslie têm carisma e a sua voz sussurrada adiciona um que sensual a algumas cenas que deixam o momento um pouco mais interessante. Harry Treadaway está muito convincente em algumas cenas e a transformação do seu personagem é quase natural.

O filme se sustenta através da mudança gradativa no clima do casal. Os eventos incomuns vão acontecendo e o distanciamento entre eles vai ganhando toques de estranheza até despencar na completa bizarrice (isso já nas últimas cenas).

Algumas dicas sutis são espalhadas pelo filme, de forma a construir um roteiro clássico de sugestão-resposta. Uma cena faz uma sugestão e em cenas seguintes você tem uma resposta. Mas, aí aparecem alguns problemas.

Todo filme de terror que se preze deve dar algumas dicas sem resposta para deixar o espectador sem saber o que vai acontecer no final, o problema está em medir isso.

Com algumas cenas absurdas e uma demora imensa para apresentar qualquer resposta, o filme acaba ficando longo em alguns momentos. A experiência perde o pulso e você começa a olhar no relógio para saber quanto tempo falta para acabar o filme.

A boa notícia é: o filme possuí apenas uma horinha e vinte minutos, o que faz dele um episódio de House of Cards e um de The Office de duração. Nada insuportável.

Interessante pela premissa, com algumas surpresas e com um final que vai te fazer pensar “QUE?! MAS… NOSSA… ISSO NO ROTEIRO DEVIA ESTAR… QUE?!” Honeymoon é um daqueles filmes perdidos no catálogo da Netflix que você pode assistir entre amigos ou matar uma horinha do seu dia. Só depois não venha aqui comentar, “hey, quem mandou você me indicar esse filme?”