Porque assistir Fullmetal Alchemist: Brotherhood

Nesse artigo vou tentar te convencer a ver um dos melhores e mais aclamados animes já criados, além de ser o meu segundo preferido. Fullmetal Alchemist: Brotherhood, é a segunda adaptação do mangá criado por Hiromu Arakawa. E para quem pensa que esse é um nome masculino, está completamente enganado. Isso mesmo, trata-se de uma mulher. Na época em que o mangá foi lançado todos pensavam que era um homem, pois ela nunca tinha aparecido na mídia. É claro que quando a informação sobre o sexo da autora foi divulgada, houve muito preconceito com ela e sua obra, apesar disso ter sido irrelevante para os seus verdadeiros fãs. Essa adaptação foi a que seguiu mais fielmente o mangá, pois a primeira não relatou corretamente alguns acontecimentos, além de diminuir fatos importantes para o desenvolvimento da história.

O mundo criado por Arakawa é baseado no período pós Revolução Industrial Europeia, situado em um universo em que a alquimia é uma das mais avançadas técnicas científicas conhecidas. Nele também existe a pedra filosofal, um elixir da vida eterna que já foi buscada por milhares de alquimistas, mas todos falharam miseravelmente na vida real. Só isso já faria dele um anime muito interessante. Mas nesse universo, onde uma mitologia própria e leis bem complexas são aplicadas, isso é apenas a ponta do iceberg.

Contendo 64 episódios e 4 OVAs, dirigido por Yasuhiro Irie, e com roteiro de Hiroshi Ōnogi, a obra foi lançada em 2009, chegando a meados de 2010. A história tem como base os irmãos Edward Elric e Alphonse que, juntos com a mãe e sua amiga Winry, viviam suas vidas de maneira normal num país chamado Amestris. Eles não eram apenas duas crianças comuns. Muito inteligentes, já andavam no meio da alquimia por causa de livros deixados pelo pai, que já havia saído de casa sem qualquer motivo explicado no início.

O ponto chave para o desenvolvimento da história, um fato triste se posso acrescentar, é a morte da mãe dos garotos em decorrência de uma grave doença. De acordo com o anime, a alquimia é a ciência que se baseia em entender, desconstruir e reconstruir matéria. No entanto, não é uma arte onipotente, pois é impossível criar algo a partir do nada. Sendo assim, se alguém deseja obter algo, algo de igual valor deve ser dado. Essa é a lei da troca equivalente, e a base da alquimia. Porém a transmutação humana é proibida, pois nada poderia ser equivalente à alma humana. E é nesse aspecto que os meninos erram, pois ao se depararem com a morte do seu ente mais querido, recorrem a alquimia para achar um jeito de trazê-la de volta. Só que um preço bem maior teve que ser pago por tais feitos, levando Alphonse a perder seu corpo e Edward uma de suas pernas. Desesperado, Edward pede para a alquimia devolver a alma de seu irmão e a coloca em uma grande armadura, dando um de seus braços em troca disso. Apesar de todo esse pesadelo vivido por eles, não conseguem trazer a mãe de volta.

Na história os garotos são ajudados pela vizinha velha Pinako Rockbell e sua neta Winry. Ed recebe braço e perna mecânicos, o que o faz ganhar o apelido de alquimista de aço, e Alphonse passa a viver dentro de um corpo metálico. A partir disso os dois entendem o tamanho do erro que cometeram, e saem em uma jornada, para então recuperarem seus corpos, os dois espertos como são pensaram num item que emana muito poder no meio da alquimia, a pedra filosofal, mas como eles iriam achar uma assim tão fácil ? Com tais habilidades dos dois eles vêem uma brecha para entrarem nos alquimistas federais, assim facilitando um pouco sua busca pela pedra, por estarem num meio privilegiado na alquimia. Só que no caminho encontram outros problemas que terão que colocar à frente dos seus, em nome de um bem maior. E os principais “vilões” dizendo assim são os homúnculos, que são seres criados artificialmente por seu mestre chamado de pai, os homúnculos recebem o nome de cada um dos pecados capitais, sendo identificados por ouroboros (é um símbolo representado por uma serpente, ou um dragão, que morde a própria cauda. Esse símbolo representa a eternidade e em Fullmetal esta relacionado com o pecado de cada homúnculo que eles representam). em seus corpos.

Sim, como vocês já devem ter percebido, esse não é um simples anime shounen comum. Sua história é complexa e incrível, assim como o grande número de personagens magnificamente bem construídos que tornam essa trama espetacular. Os irmãos que a protagonizam, se complementam de maneira perfeita. Enquanto um é impulsivo e cabeça quente, o outro é mais calmo e estratégico para resolver as situações que se deparam. Os personagens secundários também foram muito bem introduzidos e, além de bem trabalhados, possuem um bom toque de carisma dado pela autora. Mas é bom estar preparado, pois esse anime tem a síndrome de Game of Thrones. Alguns personagens que você vai amar, simplesmente vão morrer. Então prepare seu coração para alguns momentos tristes.

Um ponto positivo e que pessoalmente gosto muito nesse anime, é a maneira como trata de forma profunda e ao mesmo tempo emblemática questões sociais. A exemplo disso tem a questão da manipulação da massa popular por líderes religiosos carismáticos, por parte da alienação do povo por algo desconhecido, se beneficiando da carência, onde ele se bota no centro como um “Deus’, dentre outras coisas, muito mais complexas sendo essa apenas uma de várias questões abordadas, como essa mesma questão do “Deus”, oque é ser um deus pra você ? No anime isso é muito retratado como um status de soberania, de unipotência, de poder, nessa teoria,qual seria a importância do ser humano ?. Essa história bota sua cabeça pra pensar por diversas razões. Nas próprias regras da alquimia, vemos muitas questões filosóficas. Hiroshi não peca em detalhes para nos conta-la do jeito mais brilhante possível. Momentos tristes, sérios ou descontraídos, tudo com perfeito equilíbrio, em meio a uma guerra e a todo esse misterioso mundo da alquimia. Tudo isso acompanhado por uma trilha sonora impecável, assim como na escolha de suas músicas de abertura é términos, sendo a sua primeira abertura uma de minhas preferidas, confira abaixo:

Fullmetal Alchemist é um anime maduro, com uma história cheia de reviravoltas e varias questões filosóficas aplicadas e bem colocadas. Pode até parecer de difícil entendimento ou ingestão, mas o que era para ser confuso acaba sendo interessante e sem um furo sequer. Conta ainda com uma animação perfeita, que nos mostra todas as cenas de forma espetacular e, em algumas delas, nos deixa de queixo caído, confira uma cena abaixo, claro, contém spoilers. Pra quem já assistiu o anime vai gostar de rever.

Tudo que esse anime precisa é um pouco de paciência por causa de um sério problema de ritmo. Mas isso não tira o brilho que tem, e assim mesmo segue sendo um dos melhores animes já criados. E o melhor de tudo é que recentemente foi disponibilizado com todos os seus episódios na Netflix. Então não perde tempo e comece a maratonar, porque ele merece.

Crítica Fullmetal Alchemist: Brotherhood, Fullmetal Alchemist: Brotherhood, Fullmetal Brotherhood


Ruy Neto

Apenas um garoto que ama cinema.

  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

[email protected]

Desenvolvido e Hospedado por Vedrak