Ele continua simpático, parrudo e não envelheceu, apesar dos seus mais de 80 anos. Publicado originalmente em 1938, O Touro Ferdinando marcou gerações. Para se ter uma ideia da importância desse querido touro, seu livro foi traduzido para mais de 60 idiomas. No Brasil, a obra idealizada pelos amigos Munro Leaf (escritor) e Robert Lawson (ilustrador), foi publicada pela Editora Intrínseca.

Desenvolvido pelo brasileiro Carlos Saldanha (criador de Robôs; Rio e A Era do Gelo) em 2010, para a Blue Sky Studios, braço de animação dos estúdios FOX (recém-adquirido pela gigante The Walt Disney Company), chega aos cinemas brasileiros a animação, O Touro Ferdinando, que estreia nesta quinta-feira, 11 de janeiro.

A animação conta a história de um touro que, apesar de seu tamanho e sua força, não tem interesse em lutar nas touradas. Tudo o que ele quer é cheirar as flores e ficar quietinho no seu lugar, mas às vezes o mundo não compreende aqueles que são diferentes da sua maioria.

Com roteiro de Brad Copeland (Zé Colmeia – O Filme), a adaptação foi muito bem desenvolvida. Com uma narrativa simples, mas que carrega grandes ensinamentos tanto para os baixinhos, quanto para os “altinhos”. A mensagem de paz está muito presente na animação e vai agradar toda a família. Sem dúvida nenhuma, é um filme voltado para a educação. Vale ressaltar que, em virtude da repercussão do livro, O Touro Ferdinando, o autor, Leaf, fez algumas turnês mundiais a convite da Casa Branca, distribuindo a mensagem de paz a crianças, educadores e bibliotecários.

Sobre o personagem principal, Ferdinando (John Cena), é muito mais do que um simples touro, é um grande personagem, que foi muito bem construído para levar uma mensagem de amor ao próximo. Como o protagonista da história, o seu lugar já está garantido. Mas, quem conquista seu espaço e rouba algumas cenas, são os personagens, Lupe (Kate McKinnon), a extrovertida e divertida cabra, amiga e fã do protagonista. E também o trio mais dinâmico e esperto do cinema mundial, Una (Gina Rodriguez), Dos (Daveed Diggs) e Cuatro (Gabriel Iglesias). Juntos, eles vão arrancar todas as gargalhadas da plateia. Por falar nesse elenco, vale ressaltar que os dubladores estão todos agradáveis.

Porém, todos os personagens (coadjuvantes e vilões) foram bem trabalhados e, cada um conquistará o público da sua forma. Todos tem seu espaço e são bastante simpáticos. Cada um, aparece na sua hora e no seu momento. Com muito sucesso, cativam e encantam os espectadores. Não tem nenhum excesso, tampouco algum apresenta pouca relevância a história. Muito pelo contrário, só fazem somar e trazer uma boa diversão para a família.

Outro ponto que chama a atenção é a fotografia do também brasileiro, Renato Falcão, que repete o trabalho bem feito em Snoopy e Charlie Brown: Peanuts, O Filme, aqui o colorido é sempre o lúdico para encantar a criançada. Consequentemente, o mesmo elogio vai para a direção de arte assinada por Thomas Cardone, que desenvolveu os efeitos visuais da animação A Bela e a Fera.

Sobre a realização de Carlos Saldanha, mais uma vez, entrega uma obra bem conduzida e competente. Pode-se arriscar afirmando que trata-se de um dos seus melhores trabalhos. Foi além da mensagem de paz da obra original, ao tratar temas como maus-tratos contra os animais e o veganismo. Claro, com a responsabilidade de entregar a mensagem ao seu público-alvo. Tudo com muito humor e momentos engraçados. Como brasileiro que é, Saldanha deixou a marca do país em alguns detalhes, como uma lata de um famoso refrigerante guaraná, que aparece no chão.

Com uma mensagem universal e atemporal, O Touro Ferdinando é uma produção infantil, que também agradará o público formado pelos adultos. A animação é uma concorrente leal a Viva – A Vida é Uma Festa.

Acesse o site: http://www.intrinseca.com.br/otouroferdinando/

Assista ao trailer:

📷 Blue Sky Studios / Divulgação

Anúncio Publicitário