Apesar dos protestos de muitos fãs e da carga emocional que este filme carrega. É possível dizer que Stand By Me (Conta Comigo), filme de 1986, não é uma grande produção e está longe de ser um Masterpiece. Mesmo assim, você deveria assisti-lo.

Dirigido por Rob Reiner – atuou em O Lobo de Wall Street e dirigiu Louca Obsessão – com Wil Whaton, Corey Feldman, Jerry O’Conell e River Phoenix, este último é uma perda precoce para o Cinema. O roteiro é baseado no livro The Body do Stephen King.

Como é costume nas obras do autor, a trama se passa em uma pequena cidade americana. Um garoto desaparece causando mal-estar entre os habitantes da região e levantando toda sorte de suspeitas. Quatro garotos descobrem que o jovem foi vítima de um acidente e decidem caminhar até o local do corpo. Transformando a pequena jornada em uma aventura.

Este é um filme muito delicado de analisar. Uma vez que ele tenha encontrado eco na infância de muitas pessoas, isso acaba deixando o crítico em maus lençóis. De todo modo, o nosso papel não é acabar com a infância de ninguém e sim apontar as partes de valor e as não tão boas.

Com diálogos inteligentes e recheados de carga emocional. A história é narrada do ponto de vista de Gordie Lachance (Wil Whaton), já adulto, ele faz um relato daqueles dias em Castle Rock. Gordie precisa lidar com a perda do irmão mais velho, que foi um herói para o garoto. Além disso, essa perda transformou a sua família em uma organização disfuncional de pessoas que ocupam a mesma casa. Para finalizar, existe aquela sabedoria implícita entre os integrantes da turma de amigos de que, este verão será o último deles juntos. Já que, após o versão, cada um tomará o seu caminho e o pequeno Gordie, destinado a uma boa escola, perderá o contato com os outros amigos.

Estruturalmente o filme funciona muito bem, as cenas são bem ensaiadas e o diretor Rob Reiner tem total controle do projeto. Mesmo assim o filme tem alguns problemas

O problema que se sobressai aparece nos momentos de choro. Nesses momentos, os garotos não conseguiram produzir atuações convincentes. Eu senti como se pudesse ver o zíper nas costas do super-herói. O problema se repete em outras cenas, mesmo que o quadro de atores seja competente. Alguns momentos rasgam o tecido mágico que envolve o filme e te fazem pensar “humm… essa cena me devolveu para o sofá”.

Thomas Del Ruth foi o responsável pela fotografia. Com texturas sujas e cenas abertas ao ar livre, o filme demonstra bem o mundo gasto e enferrujado dos garotos.

Jack Nitzche foi o responsável pela uma trilha sonora que não deixa a desejar em nada. Inclusive, algumas músicas são francamente muito divertidas.

Stand By Me é uma verdadeira armadilha para o crítico. Se você passou dos 30 e foi tocado por este filme no início dos anos 90. Nada do que eu disser te fará acreditar que ele não é uma obra-prima. De todo modo, mesmo com alguns problemas, este é um filme importante. Companheiro de muitas histórias e obrigatório no seu repertório. Vale conferir.

 

Anúncio Publicitário
REVER GERAL
Fotografia
Atuações
Trilha
Estudante de jornalismo, escrevo por compulsão e vejo filmes pelo mesmo motivo, às vezes é o contrário. Me arrisco em curtas metragens, até já me deixaram gritar "corta" e me chamaram de diretor em um set de filmagem, vai entender.