As grandes estrelas do futebol de duas décadas para cá são cercadas de glamour, flashes, papparazzis, redes sociais e muita falta de personalidade, principalmente ao abrir a boca para falar de alguma situação, ainda que seja algo sobre uma partida que acabou de acontecer, o que normalmente deveria ser sua zona de conforto. Podemos citar inúmeros exemplos: Ronaldo Fenômeno, Ronaldino Gaúcho, Cristiano Ronaldo, Messi, Neymar. Porém dentro deste cenário que parece tão igual, uma figura muito famosa, diga-se de passagem, destaca-se da maioria: Zlatan Ibrahimovic. Provavelmente você já soube/viu/ouviu, além de uma jogada genial, alguma polêmica desta figura.
Porém o maior questionamento é: ele sempre foi assim ou os anos deram esta experiência e vivência?
Esta resposta você encontrará no documentário Becoming Zlatan (em tradução livre: Tornando-se Zlatan), produzido e dirigido pela dupla sueca Fredrik Gertten e Magnus Gertten, que estreou em 2016.
O filme acompanha três fases da vida do craque: seu começo no modesto Malmö (time sueco), a grande transferência para o Ajax (Holanda) e a porta de entrada para os grandes times europeus, a Juventus (Itália).


Enquanto assistia as raríssimas imagens do jovem Zlatan fiquei me perguntando: porque tiveram a ideia de filmar esse cara tão jovem, sem ter a certeza que ele atingiria o estrelato? E a resposta é imediata e constante durante as quase 2 horas de filme: o cara tem personalidade. Muitos podem encarar como arrogância, e muitas vezes é, mas dizer que Ibra está na vala comum dos famosos seria burrice.
Desde muito cedo o garoto, que não ia para a escola e queria aprender outros idiomas para jogar futebol, já se posicionava de maneira forte, argumentativa, e certamente em rota de colisão com técnicos e dirigentes.


A montagem do filme é ótima fazendo analogias. Por exemplo quando ele entrava em campo com o status de “Deus” no Malmö, e a sua primeira vaia na Arena do Ajax, e ele perguntava para si: “Estão me vaiando?”. O filme não é apresentado de maneira cronológica. Você vai e volta inúmeras vezes na adolescência enquanto ele jogava no computador, e enquanto era apresentando em uma coletiva de imprensa.
Participam do filme figuras importantes na trajetória de Zlatan: Leo Beenhakker, técnico do Ajax que convenceu o time a comprá-lo; Marco Van Basten, ídolo do time holandês; Mido, atacante egípcio que teve muitas desavenças com Ibra, além de dirigentes da Juventus de Turim.
Este filme é um prato cheio para quem gosta de futebol, e ótimo para quem adora boas histórias retratadas no cinema, somando-se a isto sua belíssima montagem.

Zlatan e seu pai, Šefik Ibrahimović

Zlatan, que depois trocou seu nome na camisa definitivamente para Ibrahimovic a pedido do pai, é uma das maiores figuras do cenário esportivo do século 21, um dos mais vitoriosos (afinal ganhou títulos nacionais por todos os clubes que passou, com exceção do Manchester United, ficando a eterna dívida consigo de nunca ter ganhado a UEFA Champions League), e o ponto fora da curva do futebol moderno, que está a passos largos acabando com este esporte tão apaixonante. Além de mostrar ao mundo que sim, é possível fazer história sendo autêntico.

Você pode conferir direto na plataforma Netflix.

Formado em produção audiovisual, fotógrafo, e me arrisco fazendo uns videoclipes musicais. Amante de cinema, defensor do cinema nacional e apreciador de uma cerveja gelada. Não gosto de fazer lista de diretores favoritos e sim de filmes: Trilogia do Anel, Cidade de Deus, Forrest Gump, O Rei Leão, O Menino e o Mundo... e por aí vai.
Loading Facebook Comments ...