Crítica “Doutor Estranho”: filme mais maduro da Marvel surpreende com efeitos especiais inovadores!

0
1371
Anúncio Publicitário

Após as estreias imperdíveis da última semana, o lançamento mais aguardado do momento é, sem dúvidas, ” Doutor Estranho “. O filme só chega às telonas na próxima quinta-feira (3), mas, oPurebreak já assistiu à produção e vai adiantar por aqui o que o público pode esperar nas salas de cinema.

Para começar, é melhor você sair de casa preparado(a) para um espetáculo de efeitos especiais que beira a uma viagem alucinógena daquelas. Com um festival de imagens incríveis, a fotografia do longa-metragem se mostra quase caleidoscópica, com um quê de ficção científica, bem no estilo da franquia “Matrix”.

Mesmo para aqueles que já esperavam esse tipo de coisa, o visual do projeto consegue surpreender. E se, assim como boa parte dos amantes da sétima arte, você não é muito chegado a assistir a filmes em 3D, o Purebreak te dá uma dica: desta vez, vale a pena. Outro grande acerto daMarvel foi conseguir conciliar a inovação da trama e as velhas estratégias do estúdio, como, por exemplo, a pegada humorística.

As piadinhas presentes nos diálogos de praticamente todos os personagens não negam a sua origem! Apesar de “Doutor Estranho” possuir influências nitidamente mais sombrias que o comum – quando se trata da empresa de “Vingadores”, é claro -, o longa dirigido por Scott Derrickson é tão – ou mais – acessível que boa parte dos lançamentos da Marvel.

A história gira em torno do neurocirurgião Stephen Strange ( Benedict Cumberbatch ), que vê sua vida bem-sucedida ir pelo ralo quando sofre um acidente de carro e fica com as mãos debilitadas. Desesperado, o médico aceita ser treinado por um feiticeiro ( Tilda Switon ) para descobrir os mistérios a respeito de novas dimensões e, quem sabe, se curar.

Como já era de se esperar, Cumberbatch está visivelmente confortável na pele de mais um gênio em seu histórico de mentes brilhantes. Com Sherlock Holmes (“Sherlock”) e Alan Turing (“O Jogo da Imitação”) no currículo, é claro que um cientista talentoso e arrogante cairia como uma luva.

O sarcasmo e a prepotência do protagonista, inclusive, tornam quase impossível evitar as comparações entre a figura e o Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), outro queridinho do estúdio. Ao lado do astro, quem também brilha no elenco e rouba todos os holofotes é Tilda Swinton, escalada para interpretar o Ancião – papel originalmente masculino nas HQ’s.

Ao mesmo tempo em que Mads Mikkelsen , ator mais do que consagrado pela crítica, tem o seu talento desperdiçado na pele de mais um vilão caricato e egocêntrico da Marvel. Afinal, não é a toa que os antagonistas costumam ser o ponto fraco das tramas da empresa, não é mesmo? De qualquer maneira, “Doutor Estranho” faz jus à espera dos espectadores e dificilmente será responsável pelo arrependimento daqueles que saírem de casa diretamente para as salas de cinema.