Crítica 2 | Deadpool 2

Deadpool está de volta! (📷 20th Century Fox / Divulgação) 

Em Deadpool 2, que estreia nesta quinta-feira, 17 de maio, em circuito nacional, dois dos (sendo um, pouco anti) heróis volta com o seu super poder mais aguçado: o deboche. Com piadas geniais e seu senso auto-crítico, o primeiro ato da sequencia falha um pouco na apresentação dos novos personagens, exceto pela maravilhosa Zazie Beetz (Dominó), é difícil criar um vinculo logo de cara, e isso atrapalha um pouco o ritmo do filme.

Ryan Reynolds continua sendo uns dos maiores acertos da produção, a acidez e carisma que seu personagem carrega, conquista fácil o espectador. Não pode-se dizer o mesmo do vilão Cable, interpretado por Josh Brolin (Thanos, de Vingadores: Guerra Infinita), ele não é lá um dos mais originais.  E o argumento pra sua existência é bem parecido com o Exterminador do Futuro tudo o que já se viu por ai.

Mas é claro que o próprio filme não deixa de debochar disso, e de forma consciente deixa claro mais de uma vez que-isso-que-você-está-assistindo-não-é-pra-levar-tão-a-sério-assim.  A prova é que boa parte do segundo ato só serve para fazer uma grande piada. Já o terceiro é um pouco mais longo do que devia, daria pra tirar, pelo menos, 20 minutos do longa-metragem  

Na parte técnica é bem válido elogiar a trilha sonora com composições de Celine Dion, A-HA e AC/DC estão inclusos e sincroniza bem com todos os momentos. Há muitos filmes que colocam musicas clássicas em cenas de forma bem forçada (como o caso de Atômica), isso passa longe de acontecer aqui, o público sairá da exibição querendo baixar todas no Spotify.

O CGI também é muito bom, e algo que vale a pena destacar, por que faz a platéia esquecer totalmente daquele fiasco que foi a apresentação do primeiro Deadpool, na época de Wolverine Origins.

Em suma Deadpool 2, é uma sequência pouco ousada, com um roteiro bem convencional, mas que cumpre com excelência sua principal função: entreter e divertir.  Continua tão bom, quanto o primeiro filme, exceto pela parte que a musa Morena Baccarin, aparece bem menos no novo filme.

Uma dica, ainda não dá pra assistir com a mãe do lado. Outra dica, não saia antes dos créditos finais. A sala de cinema inteira aplaudiu a cena.

Assista ao trailer: 

20th Century Fox, Adaptação, Cinema, Deadpool 2, filme, Fox Film do Brasil, Marvel Entertainment


Dani Califórnia

Estudou produção audiovisual e fotografia. O pai era um tira e a mãe uma hippie. É obcecada por paletas de cores e assiste qualquer filme se tiver a Amy Adams no elenco. É um vyado com y e a maior fã de pagode anos 90 desse brasil.

  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
  • cineramaclube
"O cinema é um modo divino de contar a vida"
Federico Fellini

© 2018 Cinerama Clube.

Todos os direitos reservados.

[email protected]

Desenvolvido e Hospedado por Vedrak