Crítica | Cobra Kai

Até mesmo os mais jovens conhecem o sucesso que foi Karatê Kid, lançado, por incrível que pareça, a mais de 30 anos atrás. Claramente um clássico dos anos 80, foi milhares de vezes exibido na sessão da tarde e inspirou toda uma geração. Quem ai não lembra a história do garoto Daniel LaRusso (Ralph Macchio), o nosso grande Daniel San? Ele acabava de mudar-se com a mãe para Newark (Nova Jérsey) e conheceu Ali, ex namorada de Johnny Lawrence (Willian Zabka). Aí começam seus problemas com Johnny e sua turma, gerando brigas e mais brigas. Porém um dia, ao ser cercado pelo rival e seus amigos, Daniel é salvo pelo Senhor Miyagi (Pat Morita), veterano japonês mestre na arte do karatê. Disposto a ajudá-lo, Miyagi resolve passar-lhe não só os ensinamentos do karatê, mas toda uma filosofía de vida.

Agora vamos a cereja do bolo. Cobra Kai é uma série que está sendo distribuída pela YoutubeRed, plataforma parecida com a Netflix, e que foi lançada em 2 de maio de 2018. Contém 10 episódios com cerca de 30 minutos cada. Sim, a série conta com Ralph Macchio e Willian Zabka, revivendo sua rivalidade em seus eternos papéis.

A trama agora nos bota do lado oposto da moeda, remetendo sobre as consequências na vida de Johnny após ter perdido a final do campeonato. LaRusso se casou com a mulher perfeita, constituiu família e é dono de uma das maiores e mais bem sucedidas concessionárias de carros da região. E por outro lado temos a Jonnhy, que trilhou um caminho contrário e se tornou um adulto deprimido e fracassado. Vive distante do filho delinquente e é um alcoólico que sobrevive de fazer bicos de serviços gerais em residências. Ele passa a maior parte das noites bêbado e lamentando sua vida, enquanto que Daniel sente a clara falta do seu velho amigo Miyagi, e dos seus conselhos e respostas para suas dúvidas sobre a vida.

Resultado de imagem para cobra kai
Daniel LaRusso e Jonnhy Lawrence

Agora vemos os papéis se inverterem. Miguel (Xolo Maridueña), que acaba de se mudar para uma casa ao lado da de Johnny, vive um clássico caso de bullying e é salvo por ele quando é atacado por um grupo de valentões. Claro que Miguel pede para ser aluno de Jonnhy, que a principio não aceita a ideia. Mas com o tempo acaba cedendo, e assim reergue a poderosa academia Cobra Kai. Só que desta vez estará tentando corrigir os erros cometidos por seu sensei no passado.

Imagem relacionada
Sony Pictures / Divulgação

O mais interessante da série é que, além de resgatar a clara nostalgia em muitos clichês que sim são bem aplicados, traz de volta a rivalidade de Daniel San e Jonnhy Lawrence cerca de 30 anos depois, com maestria total. Aproveitando o sucesso do filme original, que foi produzido em 1984, temos flashbacks bem introduzidos com claras referências, além de uma ótima trilha sonora com rocks dos anos 80. O legal também é ver como desenvolveu a personalidade de ambos, e como reagem ao se encontrarem cara a cara de novo. Cobra Kai foi uma bênção que nos foi dada esse ano. É algo absolutamente novo e que contém um pouco da essência dos filmes antigos, mas sem perder sua atmosfera própria.

A série consegue te botar para pensar, e talvez fazer mudar um pouco da visão que você tinha do filme original. Seria mesmo Lawrence o vilão de toda essa historia? O encrenqueiro não seria Daniel? Temos a clara visão de Jonnhy sobre isso tudo, e seu testemunho sobre tudo que ocorreu outrora. Diferente do filme que sempre deixou tudo muito claro, a série trata de ser totalmente sútil e imparcial. Quase que de uma maneira que te fará tomar partidos e decidir quem afinal estava certo. Ou, talvez, você apenas fique com essas questões martelando na sua cabeça.

Sem muitos spoilers, essa série surpreende. Com um roteiro bem desenvolvido e boas atuações por partes de todos, os episódios conseguem prender do inicio ao fim. Ela aborda temas como paternidade, família, amizades, bully virtual, preconceito e, essencialmente, sobre acharmos equilíbrio na vida. Talvez uma das melhores surpresas desse ano de 2018, com cenas que podem fazer rir, chorar, ou nos botar no meio de todo o drama vivido pelos personagens. Um prato cheio de novidades que merece ser assistido.

Veja o trailer abaixo:

 

Etiquetas: , , , ,


Ruy Neto

Apenas um garoto que ama cinema.